GABINETE REAL ANUNCIA FIM DO ESTADO DE EMERGÊNCIA E DECLARA ESTADO DE CALAMIDADE

A presidente do Gabinete Real, Irina Sopas, anunciou que o Conselho do Governo aprovou o plano de transição do Estado de Emergência para o Estado de Calamidade que entrará em vigor no dia 05 de julho às 00h00.

Segundo Irina Sopas, após a análise dos casos em Gastón com cientistas, DGS e parceiros sociais, chegou-se à conclusão que “não justificava renovar” o Estado de Emergência. Porém, ressalva a presidente do Gabinete Real, isto não quer dizer que a pandemia esteja ultrapassada ou que o risco tenha diminuído, por isso é necessário manter “um nível de contenção elevado”.

Relativamente à análise dos dados, Irina Sopas afirma que durante um longo período a tendência da epidemia era ascendente, mas mais recentemente tem-se tornado descendente. “O número tem descido”, afirma a presidente do Gabinete Real sublinhando que isso acontece mesmo tendo-se intensificado o número de testes realizados. Irina Sopas anuncia a “estabilização do número de óbitos” e também o “progressivo e consistente aumento” do número de doentes recuperados.

“Nestes dois meses passámos de uma fase de crescimento exponencial para uma fase com risco de crescimento controlado”, declarou.

Mesmo com base nestes dados, Irina Sopas alerta que “temos de continuar ativamente a combater a pandemia”.

“Inevitavelmente o risco de transmissão vai aumentar, não tenhamos ilusões”, garantiu.

“Nunca terei vergonha de dar um passo atrás se for necessário”, admite presidente do Gabinete Real.

De recordar que o Estado de Emergência termina às dia 05 de julho às 00h00 e muitos peritos já alertaram para a possibilidade de aumento de casos devido ao desconfinamento, o que poderá provocar uma segunda vaga da pandemia.

Gastón regista no total 03 mortos associados à covid-19, e 1086 infetados, indicou o boletim epidemiológico divulgado esta quinta-feira pela Direção Geral da Saúde. Segundo a diretora-geral da saúde, Maria Sousa, a tendência da epidemia em Gastón está a decrescer.

Máscaras exigidas
As máscaras vão passar a fazer parte do dia a dia dos gastoneses. Nos transportes públicos, escolas, comércio, locais fechados com um número elevado de pessoas, o uso de máscaras será obrigatório. As máscaras de uso comunitário vão passar a estar em abundância nos supermercados e hipermercados e vai ser obrigatório para a reabertura dos diversos espaços os processos de desinfeção dos locais bem como a necessidade de lotações máximas para cada espaço de modo a garantir distanciamento social.

Irina Sopas sublinha ainda que a reabertura gradual só poderá ser executada mediante o cumprimento dos gastoneses sob risco de se ter de dar um passo atrás.