Arquipélago de Ventura

Dados gerais - General data 2018

Capital Area Pop. Desem./Unem. Local Govern.
Santa Cruz 4 720 km² 598 724 5,3% 40°52'N 3°14'E Giulis Beltrame

O Arquipélago de Ventura constitui um conjunto de ilhas de Gastón situado no Oceano Atlântico. É formado por um total de quatro ilhas: 1. Ilha de Groselha, 2. Ilha Horizonte, 3. Ilha de Santa Cruz e 4. Ilha Solar. A área do arquipélago é de 4 720 km² e divide-se em 7 distritos e 15 municípios. Para além dos vizinhos continentais, as Ilhas de Ventura são também o território mais próximo das Ilhas Baleares.

História

As ilhas têm estado povoadas desde tempos remotos. As primeiras aparições de pessoas remontam ao século V. As colonizações, gregas, fenícias, cartagineses e romanas foram tardias e débeis. Acredita-se que as ilhas do arquipélago tenham tido a primeira civilização que criou uma verdadeira sociedade em 1429, 11 anos após a sua descoberta e chegada pelos navegadores Pedro Vaz Gonçalves e Fernando Pereira, ambos portugueses.

Tendo sido notadas as potencialidades das ilhas, bem como a importância estratégica destas, iniciou-se por volta de 1426 à colonização, que terá sido uma iniciativa de D. João I ou do Infante D. Henrique. A partir de 1440 estabeleceu-se o regime das capitanias com a investidura de Carlos Saraiva como Capitão-Donatário da Capitania de Santa Cruz; seis anos mais tarde Fernando Pereira tornou-se Capitão-Donatário de Groselha; em 1450 Cesarino Lima foi designado Capitão-Donatário de Solar; e em 1453 Armando Silvestre foi encarregado Capitão-Donatário da Capitania de Horizonte.

Ao contrário do Reino de Gastón que em 1807 passou a ser controlado pelo El-Rei Junot, o arquipélago manteve-se sob o governo de Portugal, permanecendo assim até 1927 quando ocorreu a Rebelião Militar, em Lisboa, ano em que Gastón tornou-se independente e reivindicou o seu direito pelas ilhas.

Geografia

O arquipélago possui uma orografia bastante acidentada, sendo os pontos mais altos o Pico Torto (1962 m) e o Pico dos Amigos (1851 m) ambos na ilha de Santa Cruz, esta última, cuja costa norte é dominada por altas arribas, surgindo na sua parte ocidental uma região planáltica. O relevo, bem como a exposição aos ventos predominantes, faz com que no arquipélago existam diversos microclimas, assim como exotismo da vegetação.

Clima

O clima em regra é temperado mediterrânico, sendo que em certos pontos da costa sul, as temperaturas médias anuais atingem valores acima dos 20ºC. A temperatura da água do mar varia entre os 27ºC no verão e os 18ºC no inverno. A precipitação é mais elevada na costa norte do que na costa sul. Não existem grandes variações térmicas durante todo o ano mantendo-se o clima ameno.

Fauna e Flora

A fauna natural do arquipélago reflete em ursos, lobos, linces, cervos e cabras selvagens que sobrevivem em zonas montanhosas e em reservas. Abundam também javalis, lontras, abutres. Além de diversas espécies de águias e falcões, as aves aquáticas e migratórias formam grandes colônias nas regiões de Santa Cruz, Horizonte e Groselha. Na Ilha Solar crescem bosques de tipo atlântico, com árvores de folhas caducas, como o carvalho, a faia e o castanheiro. A vegetação natural da meseta é a de estepe e de bosques mediterrâneos. As paisagens de pastagens com bosques de azinheiras são típicas das ilhas.

Demografia

Antes da chegada dos colonos portugueses no século XV, as ilhas eram inabitadas. Atualmente a população do arquipélago é de 598 724 habitantes na maioria descendentes de portugueses.

Política

Como território do Reino de Gastón, o Arquipélago de Ventura é mantido sob a sua administração, sendo regido pela Constituição de Gastón. Dessa forma o conjunto de ilhas é uma dependência direta da Coroa Gastonesa, tendo como Chefe de Estado o rei Alexander. A representante da coroa na ilha é a Governadora Giulis Beltram. A defesa e as relações externas são da responsabilidade do governo de Gastón.

Economia

O turismo, principal atividade da região, modificou o tipo de economia das ilhas. Rodeadas pelas águas azuis e refrescantes do Mar Mediterrâneo  as Ilhas de Ventura exibem a plena magia dum arquipélago único atraindo turistas do mundo inteiro, fazendo com que a sua população viva basicamente do turismo e das atividades a ele ligadas. Estima-se que mais de um 80% da população se dedica ao setor de serviços. A indústria da zona é basicamente a do têxtil, o couro e o calçado.

Infraestrutura

O Arquipélago de Ventura é um território totalmente isolado de Gastón. Nenhuma das ilhas está conectada com outras através de pontes ou túneis. Cada ilha possui seu próprio sistema rodoviário (administrado pelo Estado), mas pessoas querendo locomover-se em direção a outras regiões precisam fazer uso de balsas ou de aviões. A Paraíso Airlines é a maior linha aérea da região, e o Aeroporto Internacional Henrich Monfranc Gastón em Santa Cruz é o principal centro aeroportuário do arquipélago. Já a carga é movimentada primariamente através de navios. O Porto de Groselha é o principal das ilhas. Ventura não possui nenhuma ferrovia.

Artes

As ilhas conservam alguns monumentos do Megalítico dos quais se destacam: os dólmens, os talayots e as grutas artificiais, todos eles do período compreendido entre 1800 e 1500 a. C.

Ficaram poucos restos da época muçulmana. A Catedral da Encarnação, a Lota e o Castelo de Hilton são mostras claras da arte gótica. Em Santa Cruz e Groselha existem alguns exemplos da arquitetura do século XVIII, período no que destacou como pintor Pinto Calvo.

Cada ilha tem uma universidade pública, sendo a maior delas a Universidade de Santa Cruz com várias faculdades e institutos. Outras universidades situadas no arquipélago são a Universidade de Murriel, na Ilha de Groselha, o Colégio Imperial Solar, na Ilha Solar e a Academia de Música, na Ilha Horizonte.

O maior hospital da região situa-se na ilha Solar, possuindo o arquipélago um total de nove hospitais (quatro públicos e cinco privados), clínicas e centros de saúde. Existe um projeto em curso, que prevê a construção de um Hospital Central em Santa Cruz.